1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 3 PALMELENSE 0 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 3 PALMELENSE 0

Ricardo Dâmaso e Alexandre estão de volta…

ALCOCHETENSE APROXIMA-SE DOS LUGARES DA FRENTE


Depois de na jornada anterior ter ganho no Montijo, o Alcochetense voltou a ganhar nesta jornada agora derrotando o Palmelense por três bolas a zero num jogo em que foi nitidamente superior ao seu adversário.

Em termos exibicionais, a primeira parte não correu da forma desejada à equipa de Zé Pedro que ficou a jogar em superioridade numérica por expulsão de um jogador adversário pouco depois de Feiteira ter aberto o activo. A expulsão deu origem à marcação de uma grande penalidade mas Peter chamado para cobrar não aproveitou e o intervalo chegou com o marcador em 1-0.

Na segunda parte tudo acabou por ser diferente porque a equipa de Alcochete que acabou de se reforçar com Ricardo Dâmaso e Alexandre, que estão de regresso após uma curta passagem pelo Eléctrico de Ponte Sor, melhorou substancialmente.

O Palmelense tentava fechar o espaço junto à sua baliza e ia conseguindo aguentar a pressão da equipa visitada que era cada vez mais constante e numa altura em que começava já a acusar algum desgaste acabou por consentir mais dois golos que ditaram o desfecho final.

Ricardo Dâmaso [que se estreou da melhor maneira] e Djão foram os marcadores de serviço no segundo tempo.

Com a vitória conquistada a equipa de Alcochete subiu ao quarto lugar da tabela classificativa com os mesmos pontos do terceiro classificado [Barreirense], ficando agora apenas a um ponto do segundo [Amora] a dois pontos do líder [U. Santiago].

O Palmelense está nesta altura em 14.º lugar com cinco pontos, mais um que os dois últimos, Arrentela e Charneca de Caparica.

Na próxima jornada o Alcochetense desloca-se a Sesimbra para defrontar a equipa local no Estádio Vila Amália e o Palmelense recebe o Comércio e Indústria no pelado do Cornélio Palma.


A OPINIÃO DOS TREINADORES

ZÉ PEDRO, treinador do Alcochetense:

“Na segunda parte jogámos sempre no meio campo ofensivo”


“Para nós a vitória era fundamental porque poderíamos tirar proveito do confronto entre equipas que estavam à nossa frente mas a verdade é que entrámos no jogo algo apáticos e a jogar com pouca intensidade. Mesmo assim conseguimos chegar ao golo. Depois há um jogador do Palmelense expulso por ter jogado a bola com a mão quando a bola se preparava para entrar e que deu origem a um penalti que não concretizámos. Ficámos a jogar em superioridade numérica e caímos em cima do Palmelense mas não conseguimos mais. Ao intervalo a vantagem era justa mas a equipa havia mostrado pouca objectividade. Ao intervalo falámos e na segunda parte melhorámos bastante. Passámos a jogar praticamente sempre no meio campo ofensivo e criámos diversas situações para finalizar mas só conseguimos fazer mais dois golos. De qualquer forma, fica a postura da equipa na segunda parte período em que mostrou sempre muita vontade de querer fazer mais e melhor. No fundo fizemos uma exibição positiva e credível e isso foi o mais importante porque nos aproximámos mais dos lugares da frente”.



EDU MACHADO, treinador do Palmelense:

“Ninguém tem o direito de mandar bitaites sobre a minha equipa”

“Antevíamos um jogo muito complicado porque defrontávamos uma equipa muito bem organizada e orientada com muitos valores, principalmente na linha da frente, que sabíamos de antemão que iriam causar muitos problemas. Nesse sentido, tentámos jogar no erro baixando as linhas para adiar ao máximo o golo adversário e assim causar alguma ansiedade à equipa que tinha obrigatoriedade de ganhar o jogo, procurando sempre surpreender em transições rápidas. A ideia era e foi essa até ao primeiro golo que surgiu num erro da equipa de arbitragem por deslocação do seu marcador e depois num penalti que originou a expulsão do Teixeira. Se a jogar com 11 era difícil com 10 ainda mais complicado se tornou. A vitória do Alcochetense acaba por se ajustar porque comandou sempre o jogo mas os dois últimos golos acabaram por surgir em duas desatenções dos meus jogadores que acusavam já muito desgaste. Parabéns ao adversário e ao ao Zé Pedro e uma palavra para os meus jogadores que tudo fizeram para honrar as suas cores. De arbitragem já me cansei de falar, não vale a pena dizer mais nada para não pensarem que arranjo sempre desculpas para as minhas derrotas e que será sempre maneira de justificar derrotas. Queria só deixar um recado para aqueles que criticam e fazem análises ridículas à minha equipa e à nossa postura. Ninguém tem o direito de analisar nem de mandar bitaites em relação ao que fazemos aos domingos. Ninguém sabe, nem sonha, das condições e da maneira que este plantel trabalha, sem ser aqueles que a custo zero se dedicam e se sacrificam por este clube. Nós lutamos com as armas que temos, não nos peçam para ir para a guerra de peito feito e de fisga na mão, quando os outros têm bazucas. Por isso, peço respeito e que pensem um pouco antes de analisar os jogos da minha equipa. Para a semana temos um dérbi onde mostraremos em casa que mesmo com uma fisga David derrubou Golias”.



FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio António Almeida Correia “Foni”, em Alcochete
ÁRBITRO: Daniel Carvalho (Núcleo do Barreiro)

ALCOCHETENSE: Rogério Ziotti; Bruno Pais, Gil, Cunha (Ricardo Dâmaso, 55’), Kiki; Sequeira, Feiteira e Queijinho; Marco Véstia (Alexandre, 70’), Ricardinho e Peter (Djão, 80’).
TREINADOR: Zé Pedro

PALMELENSE: Gustavo; Pedrinho, Jones, Teixeira, Ruben; Tony, Celkio, Cortez; Eddie (Brito, 35’), Alex (Nelson, 35’) e Gaspar (Morais, 80’)
TREINADOR: Edu Machado

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Feiteira (32’); 2-0, Ricardo Dâmaso (70’); 3-0, Djão (85’)
Disciplina: Teixeira foi expulso aos 35 minutos

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here