1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» AMORA 1 U. SANTIAGO 1 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

domingo, 7 de dezembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» AMORA 1 U. SANTIAGO 1

U. Santiago empata de penalti a cerca de dez minutos do fim

AMORA FEZ TUDO PARA GANHAR MAS NÃO CONSEGUIU

Amora e U. Santiago, os dois primeiros classificados do campeonato distrital da 1.ª divisão da AF Setúbal, empataram a uma bola na partida que ambos disputaram no Estádio da Medideira, relativa à 8.ª jornada, mas mantiveram as suas posições porque os seus principais adversários também não ganharam nesta jornada.

Em termos de jogo jogado certamente ninguém tem dúvidas que o Amora foi superior e que foi a equipa que mais fez para conquistar os três pontos mas como o futebol não é uma ciência exacta a equipa alentejana acabou por conquistar um ponto fruto de uma estratégia que conseguiu colocar em prática e que resultou, não diremos em pleno, mas de forma bastante satisfatória.

O Amora foi sempre a equipa com sinal mais e aquela que mais procurou o golo mas os seus jogadores revelaram alguma ineficácia no momento decisivo e acabaram por sair penalizados não só por isso mas também devido a uma saída infeliz e algo extemporânea do seu guarda-redes numa bola despejada para a grande área em que terá derrubado um jogador do U. Santiago originando a grande penalidade que Daniel Direito converteu no golo do empate.

Não se pode falar em justiça ou injustiça porque no futebol isso não existe mas sim em erros que acabam por ser fatais. Os amorenses queixam-se também de uma decisão do árbitro que assinalou livre quase em cima da linha limite da grande área quando no seu entender o jogador adversário terá jogado a bola com a mão já dentro da área. Este, de resto, foi o lance mais polémico de todo o encontro já que quanto ao penalti e à expulsão de Lacão não há nada a dizer.

Mas, voltando o ao princípio, importa dizer que se tratou de um jogo disputado por duas boas equipas. O Amora entrou melhor e tomou a iniciativa do jogo praticando um futebol mais ofensivo ao qual tentava responder o U. Santiago com transições que não estavam a resultar.

O domínio do jogo pertencia ao Amora que aos 14 minutos se colocou em vantagem por Carrilho que concluiu de cabeça, junto ao segundo poste, um livre cobrado por Balela do lado direito mas relativamente perto da linha do meio campo. O U. Santiago procurou responder mas as coisas não lhe estavam a correr de feição. Ainda assim, aos 32 minutos, Daniel Direito com um remate de longe obrigou Madureira a fazer uma excelente defesa desviando a bola que foi depois bater na barra da sua baliza. Passado puco tempo (35’) Carlitos em lance individual também ameaçou com perigo a baliza adversária mas até ao intervalo não aconteceram mais golos.

Na segunda parte a toada do jogo manteve-se e nos primeiros cinco minutos o Amora desperdiçou duas boas ocasiões para aumentar a vantagem, uma por Carrilho (48’) e outra por Joca (49’). O jogo continuava a ser bem disputado com o Amora exercer algum domínio e o U. Santiago a dar boa resposta, até que aos 77 minutos surgiu o lance que daria o golo do empate. A bola despejada para a grande área parecia inofensiva mas Madureira que saiu da sua baliza calculou mal o salto e acabou por abalroar Ramirez, cometendo falta para penalti.

Após o golo da igualdade, o Amora forçou ainda mais o ataque fazendo entrar Paulo Tavares e Lacão e voltou a estar muito perto de marcar mas faltou algum discernimento no momento da decisão. E, quando decorria já a compensação, aconteceu a expulsão de Lacão que agarrou um adversário quando este seguia isolado para a baliza do Amora que foi apanhado de surpresa numa altura em que procurava de forma desesperada chegar ao golo da vitória.

Na próxima jornada o Amora desloca-se ao Municipal do Vale da Amoreira para defrontar o Banheirense e o U. Santiago recebe a visita do Charneca de Caparica.


A OPINIÃO DOS TREINADORES

PEDRO AMORA, treinador do Amora:

“Não somos candidatos mas se calhar andamos a incomodar muita gente”

“Este é um mau resultado tendo em conta o que se passou no jogo. Acho que o resultado é injusto. A primeira parte foi equilibrada, num jogo intenso em que as equipas mostraram vontade de ganhar. Fomos para o intervalo em vantagem que se aceitava pelo que havíamos feito mas, a segunda parte foi praticamente toda nossa, tirando o penalti e um remate que fizeram quase no fim. Não me lembro de se terem acercado da nossa baliza a não em pontapés do guarda-redes. A bola com alguma teimosia acabou por não entrar e o jogo acabou por ditar este desfecho que não nos satisfaz, embora tenhamos defrontado um adversário que é candidato assumido ao título. Os jogadores têm que sair daqui com a cabeça bem levantada porque hoje aconteceu mais do mesmo. A bola ou bate no pé, na cabeça, ou no poste e acaba teimosamente por não entrar, já não é o primeiro nem o segundo jogo em que isto acontece. Depois há também a salientar que durante toda a segunda parte, o André Duque, que é um bom árbitro, se fartou de meter os pés pelas mãos e acabou por ter influência directa no resultado porque expulsou um jogador nosso e não marcou um penalti a nosso favor, porque não teve coragem. Eu ouvi o seu auxiliar dizer que era penalti. A única forma de sofrermos golo, ao fim de seis jogos, foi um penalti. O nosso objectivo não é a subida de divisão se nos assumem como candidatos é porque de facto temos valor para isso e eu assumo que sim mas se calhar andamos a incomodar muita gente que apostou muito dinheiro para subir. Eu tenho evitado de falar das arbitragens mas quando isto acontece muitas vezes começa a parecer estranho”.


JOÃO DIREITO, treinador do U. Santiago:

“Não fiquei totalmente satisfeito porque queríamos a vitória”

“O empate de certa forma satisfaz. A nossa vontade era ganhar e quando digo isto não estou a faltar de forma nenhuma ao respeito ao Amora que é um grande clube. O jogo foi bastante competitivo em que sobressaiu a qualidade das duas equipas que jogaram o jogo pelo jogo. Neste jogo não houve vencedor mas sim dois vencidos em que perdemos ambos dois pontos. Se a justiça do empate está certa ou não, eu penso que sim, que se acaba por aceitar. Parece que nos beneficia mais a nós porque jogámos fora mas de qualquer forma importa realçar que realizámos um jogo de qualidade. Respeito muito o Amora que é um clube histórico mas nós hoje viemos aqui para ganhar. No decorrer dos jogos há sempre dúvidas de ajuizamento do árbitro mas penso que no geral esteve bem. Penso que os dois treinadores também estiveram bem na sua acção, os jogadores das duas equipas também fizeram para ganhar o jogo, mas eu não posso ficar totalmente satisfeito porque queríamos a vitória”.




FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio da Medideira, Amora
ÁRBITRO: André Duque (Almada / Seixal), auxiliado por Hugo Conceição e Joaquim Gato

AMORA: Madureira; Balela, Alex, André Freire (Lacão, 87’), Jandir; Ricardo Rigor (Paulo Tavares, 84’), Hugo Graça, Carlitos; Joca, Carrilho (André Dias, 58’) e Nascimento.
Suplentes não utilizados: Fábio, Filipe, Domingos e Mauro
TREINADOR: Pedro Amora

U. SANTIAGO: Rafael; Alexandre, Paulo Silva, André Oliveira, Ivan; João Generoso, Ramirez, Daniel Direito, Diogo Filipe; Neves (Abdul, 75’) e Ruan.
Suplentes não utilizados: Pinóia, Ruben, Mendão, Bachir, Mauro e Malaquias
TREINADOR: João Direito

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Carrilho (14’); 1-1, Daniel Direito (79 gp’)
Disciplina: cartão amarelo para Daniel Direito (13’); Joca (49’); Hugo Graça (62’); Ruan (65’); Jandir (76’); Madureira (77’); André Dias (86’), André Oliveira (90+2’). Cartão vermelho, directo, para Lacão (90+4’)

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here