TAÇA AF SETÚBAL»» BANHEIRENSE 0 ALCOCHETENSE 0 (7-8) gp - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

domingo, 28 de dezembro de 2014

TAÇA AF SETÚBAL»» BANHEIRENSE 0 ALCOCHETENSE 0 (7-8) gp

Banheirense saiu de cabeça bem erguida…

Alcochetense recebe agora o Amora nas meias-finais

Quem se deslocou ao Municipal do Vale da Amoreira certamente não deu por mal entregue o seu tempo porque teve oportunidade de assistir a uma boa partida de futebol onde a emoção e a incerteza quanto ao vencedor se manteve mesmo até ao final.

O jogo decorreu de forma bastante equilibrada e o nulo aceitava-se tanto no final dos noventa minutos como depois de concluídos os trinta minutos do prolongamento.

Na lotaria dos penaltis, o Alcochetense acabou por ser mais eficaz e acabou por ser premiado com a passagem às meias-finais da competição onde vai decidir no dia 3 de Abril [sexta-feira santa] a sua presença na final com o actual detentor do troféu [o Amora], em jogo a realizar precisamente em Alcochete, no Campo António Almeida Correia “Foni”.

Ainda em relação aos penaltis, importa salientar que todos os jogadores marcaram na primeira série. Depois, na segunda série, em evidência estiveram Piqueira que marcou o oitavo e Pedro Cardoso que defendeu o último remate dos jogadores da equipa da Baixa da Banheira que acabaram por ficar pelo caminho mas saíram de cabeça bem erguida com a convicção de que haviam feito tudo para merecer melhor sorte.


A OPINIÃO DOS TREINADORES


RUI FONSECA, treinador do Banheirense:

“Jogadores fizeram tudo o que estava ao seu alcance para tentarem vencer”

“Foi triste por dois motivos; o primeiro porque saímos da competição e o segundo porque os atletas gostariam de dedicar a vitória à equipa técnica anterior, por quem nutriam uma grande amizade e estima. Não foi possível, mas os rapazes fizeram tudo o que estava ao seu alcance para tentarem vencer a partida. O jogo foi muito bem disputado e teve emoções fortes. Quem se deslocou ao estádio assistiu a um jogo de emoções fortes, bem jogado de parte a parte e com oportunidades. O Alcochetense teve uma flagrante em que podia ter marcado mas também nós tivemos duas em que o nosso ponta-de-lança se isolou e não conseguiu desfeitear o guarda-redes contrário. Portanto, o resultado aceitava-se. Depois nas grandes penalidades a que muitos chamam lotaria e outros lances trabalhados. De uma forma ou outra uma coisa é certa no momento de as bater um ou outro jogador acusa mais um bocadinho e nós acusámos mais porque falhámos dois e eles só falharam um. Dou os parabéns a esta equipa do Alcochetense que é muito bem conduzida pelo meu amigo Zé Pedro. Desejo tudo de bom a eles porque tenho muitos amigos na equipa do Alcochetense mas também quero deixar uma palavra de grande apreço aos meus atletas que fizeram um jogo muito bom e de grande qualidade, só temos que estar confiantes em relação ao campeonato”.
Em relação ao seu regresso ao futebol distrital Rui Fonseca disse que “é com grande satisfação que volto àquilo que mais gosto. Obviamente que estava empenhado no trabalho que estava a fazer nos juniores do Barreirense mas de facto trabalhar com seniores é aquilo que mais gosto e foi com um sentimento forte e de gosto pelo futebol distrital do qual sou um apaixonado desde os tempos de miúdo e por isso é com grande prazer que me volto a sentar no banco de uma equipa sénior”.      



ZÉ PEDRO, treinador do Alcochetense:

“Fomos decididos e confiantes para os penaltis e acabámos por ser felizes”

"Foi um jogo equilibrado. Já tínhamos jogado em casa com o Banheirense com quem havíamos empatado para o campeonato e tínhamos sentido alguma dificuldade porque tem uma equipa organizada, embora fosse com outro treinador, e agora aconteceu a mesma coisa porque a equipa manteve os seus princípios. O Banheirense jogava em casa e estava a apostar tudo na taça mas também encontrou pela frente uma equipa organizada consciente das dificuldades que iria encontrar resultando daí um jogo bastante equilibrado, sem grandes oportunidades de golo. Nas bolas paradas e numa ou outra situação conseguimos criar mais perigo mas o jogo foi muito dividido a meio campo. No prolongamento já com algum desgaste físico das duas equipas surgiu uma situação em que nos poderíamos ter colocado em vantagem mas na parte final, na sequência de dois erros defensivos, permitimos que o Banheirense também tivesse duas situações em que podia ter chegado ao golo. Depois, na lotaria dos penaltis acabámos por ser mais felizes. É evidente que nestas situações importa ter bons executantes e um guarda-redes que dê segurança e foi isso que aconteceu com a nossa equipa. Fomos decididos e confiantes para os penaltis e acabámos por ser felizes".          


FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Municipal do Vale da Amoreira, na Baixa da Banheira
ÁRBITRO: João Marques (Núcleo de Almada / Seixal)

BANHEIRENSE: Andrade; Marinho (Ruben, 63’), Valdo, Hernâni, Bertrande; Morgado, Nelson (Tiago Garcia, 45’), Honório; Nico (Rafa, 105’), Zé Carlos e Daniel Lourenço (Ailton, 105’).
TREINADOR: Rui Fonseca

ALCOCHETENSE: Pedro Cardoso; Bruno Pais, Gil, Pedro Henriques, Kiki (Ricardo Dâmaso, 35’); Piqueira, Milton (Queijinho, 115’), Feiteira; Ricardinho, Alexandre Dâmaso (Tiago Carvalho, 100’) e Peter (Djão, 73’).
TREINADOR: Zé Pedro

Ao intervalo: 0-0
Final dos 90 minutos: 0-0
Final do prolongamento: 0-0
Desempate por penaltis: 7-8




Post Bottom Ad

Responsive Ads Here