RICARDO CRAVO»» Está a treinar o Urzelinense (Açores) - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

terça-feira, 18 de agosto de 2020

RICARDO CRAVO»» Está a treinar o Urzelinense (Açores)

 

Na Ilha de São Jorge…

 

“O CLUBE QUE É POUCO CONHECIDO NO CONTINENTE MAS DAQUI A 2 OU 3 ANOS PODE ESTAR NA ELITE DO FUTEBOL AÇORIANO”

 

Vencer a taça das ilhas e ir o mais longe possível no campeonato são metas que gostaria de atingir e como somos ambiciosos não escondemos também o desejo de podermos vir a ser campeões.

 



Ricardo Cravo voltou aos Açores, desta vez para treinar o Urzelinense que na época passada terminou em terceiro lugar o campeonato da ilha de São Jorge. O bom trabalho realizado no Guadalupe, na Ilha da Graciosa, terá com certeza contribuído para este regresso ao arquipélago.

 

Com uma carreira de 28 anos desenvolvida nos mais diversos pontos do país e também no estrangeiro, tanto em provas regionais, como distritais e nacionais, o treinador de 56 anos abraçou este novo projecto por considerá-lo muito interessante e poder levar o clube para patamares mais elevados.

 

Na conversa que tivemos, Ricardo Cravo recordou também os clubes por onde passou e confessou sentir saudades da sua faceta de comentador tanto na rádio como na televisão.


 


Estás de volta aos Açores, agora para treinar o Urzelinense, na ilha de S. Jorge. Como surgiu esta possibilidade?

Surgiu este convite e outro da mesma ilha. Optei pelo Urzelinense por ser um clube muito bem estruturado e porque tem uma direcção muito responsável e ambiciosa que pretende fazer a certificação do clube na Federação Portuguesa de Futebol, processo no qual vou também dar uma ajuda. Todos juntos iremos fazer um trabalho bem fundamentado. Aceitei o convite porque senti que as pessoas me desejaram muito e acreditaram no trabalho de um treinador com 28 anos de carreira.

 

Trata-se de um clube pouco conhecido a nível nacional. Em que patamar se encontra a nível regional?

O projecto é extremamente interessante e o objectivo muito claro. Fazer um trabalho positivo, tentarmos vencer a taça da ilhas e ir o mais longe possível no campeonato, não excluindo a possibilidade de podermos vir a ser campeões. Temos que ser ambiciosos mas temos que pensar o jogo a jogo, se conseguirmos subir de divisão, tanto melhor. Como disse, o objectivo é muito claro, fazer um trabalho positivo para dignificar a camisola do clube que é ainda pouco conhecido no continente mas que daqui a 2 ou 3 anos pode estar na elite do futebol açoriano.

 


Os trabalhos para a nova época já começaram?

Oficialmente os trabalhos vão começar no dia 24 de Agosto. Neste momento ainda não se podem utilizar os balneários do clube, apenas para trabalho individual no campo, mas penso que a partir da próxima segunda-feira já temos condições para iniciar a pré-época para prepararmos a nossa participação na taça que começa no dia 27 de Setembro.

 

Tens levado uma vida inteira dedicada ao futebol tanto a nível distrital, como nacional e até mesmo internacional. Tens a noção de quantos clubes treinaste?

É claro que não posso esquecer os clubes que treinei. Recordo-me perfeitamente que comecei no ARCAS, clube da minha rua, do qual também fui presidente. Depois, seguiu-se o Trafaria, Sporting, Futebol Benfica, Charneca de Caparica, Ginásio de Corroios (cinco épocas), Pescadores da Caparica (três épocas), Cova da Piedade (três épocas), União de Montemor (duas épocas), Atlético Clube de Portugal, Almada, Fabril do Barreiro, Operário de Lisboa, Juventude Cercalense, estive na Irlanda e na China, Pinhalnovense (duas épocas), Guadalupe, Linda-a-Velha, Portosantense, Fátima e agora o Urzelinense. Têm sido muitos os clubes por onde tenho passado nestes 28 anos de treinador mas deixei sempre a porta aberta em todos eles e isso é muito importante.


 

Com a tua ida para os Açores suspendeste a tua faceta de comentador na Bola TV. Já tens saudades?

De facto tenho muitas saudades de ser comentador da Bola TV. Aliás, é um orgulho muito grande para qualquer pessoa do desporto, seja ela dirigente, jogador ou treinador. A  Bola TV está no meu coração mas também não posso esquecer a Rádio Voz Desportiva que foi onde comecei, a Bola FM e até mesmo a Rádio Estádio  onde também colaborei e às quais estou muito grato. Tenho saudades de ser comentador mas a vida de treinador é mesmo esta.

 


Queres acrescentar algo mais?

Quero desejar a todos os clubes do distrito de Setúbal que tenham uma boa época desportiva. Espero que a Direcção Geral de Saúde olhe por todos em Portugal e para os atletas e treinadores porque o futebol é muito importante não só para a juventude mas para todos porque se trata de uma questão social. Aproveito para deixar uma mensagem às pessoas que estão doentes e esperar que isto passe o mais rápido possível. Aqui nos Açores há poucos casos e todos eles na Ilha de São Miguel, está tudo controlado. Não quero terminar sem dizer que é um orgulho falar contigo porque tu és uma pessoa extremamente importante para o futebol distrital e não só, és uma pessoa maravilhosa e fundamental neste desporto. Muito obrigado, tens feito o trabalho notável!

 

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here