1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» PAIO PIRES 4 ALFARIM 3 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

segunda-feira, 22 de abril de 2013

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» PAIO PIRES 4 ALFARIM 3

Foi um vencedor feliz… 

Paio Pires ganha com autogolo no último minuto
quando jogava apenas com oito jogadores

  O Paio Pires, ao derrotar o Alfarim, por 4-3, com um autogolo no último minuto da partida, foi uma das sensações da 24.ª jornada do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão.

O Alfarim, com a derrota sofrida, ficou mais distante do primeiro lugar e o Paio Pires mais próximo de garantir a manutenção, embora a situação se mantenha ainda muito complicada, devido sobretudo à incerteza do número de clubes que poderão vir a descer da 3.ª Divisão Nacional.

No campo Vale da Abelha, o jogo começou praticamente com um lance de ataque do Paio Pires conduzido pelo flanco direito por Adérito que cruzou para a grande área onde apareceu, com muito perigo, Telmo a rematar contra as pernas de um adversário. O mote estava dado para uma partida que viria a ter momentos interessantes e bastante emotivos sobretudo nos instantes finais pela incógnita quanto ao desfecho final. O jogo estava aberto com ambas as equipas à procura do golo que viria acontecer aos 16 minutos por intermédio de Estrela que aproveitou da melhor forma um brinde da defensiva alvinegra. Não satisfeito com o resultado, o Paio Pires procurava chegar com êxito junto da baliza de Sérgio mas não o fazia da melhor forma e até ao intervalo o melhor que conseguiu foi um lance protagonizado aos 26’ por Edgar que falhou de forma incrível o empate, com a baliza escancarada.

 Na segunda parte, o Paio Pires entra muito forte no jogo e no curto espaço de 10 minutos dá a volta ao marcador com a obtenção de três golos, sem resposta. O primeiro, aos 46’ por Telmo com um remate cruzado, após jogada de insistência de Edgar; o segundo aos 49’ por Eddy que concluiu de forma sóbria mais uma jogada desenvolvida pelo lado esquerdo do seu ataque e o terceiro por Edgar, aos 55’, numa recarga depois de uma defesa incompleta de Sérgio. Este foi na verdade o período de ouro de Paio Pires que deixou completamente atordoado o Alfarim que demorou algum tempo a recompor-se. Correndo atrás do prejuízo, a equipa forasteira, num lance de contra-ataque tira partido da hesitação da defensiva paiopirense e reduz para 3-2, por Bolacha, quando estavam decorridos 76’. O Alfarim começava a acreditar que poderia fazer ainda mais e melhor mas a verdade é que foi o Paio Pires, por Pedro Alves, que poderia ter resolvido desde logo a questão quando atirou à barra aos 82’. O jogo estava dividido mas o Alfarim dava mostras de mais frescura física e mesmo aos 90’ chega ao golo da igualdade por Luís Marques, num lance em que os paiopirenses ficaram a reclamar falta e que acabou por estar na origem das expulsões de Márcio e Marcelino. O Paio Pires ficou então reduzido a oito jogadores porque, para além das expulsões, Eddy se havia lesionada e já não havia mais substituições para fazer. Pensava-se então que o resultado estava feito porque se jogava já o período de compensação. Mas, foi pura ilusão porque com alguma dose de felicidade o Paio Pires acabaria por chegar à vitória mercê de um autogolo de Rão que, inexplicavelmente, e sem qualquer adversário por perto, atirou para a sua baliza.

A arbitragem de Rui Ramos (Setúbal) deixou muito a desejar porque sentiu alguma dificuldade em controlar o jogo e nem sempre esteve bem auxiliado. No final, as críticas vinham dos dois lados.

No próximo domingo, o Paio Pires desloca-se ao Vale da Amoreira onde vai defrontar o Desportivo de Portugal enquanto o Alfarim recebe o Vasco da Gama de Sines.

 PAULO CARDOSO, treinador do Paio Pires: 

 “Os jogadores sentem bastante a camisola” 

  “O Paio Pires entrou bem no jogo, criou algumas situações, mas não conseguiu concretizar. O Alfarim teve um livre directo à entrada da área e um remate à baliza que resultou em golo. É uma equipa muito bem organizada mas pouco havia feito para estar em vantagem. Na segunda parte, voltámos a entrar muito bem e com alguma felicidade conseguimos aproveitar as oportunidades que conseguimos construir. Depois, verificaram-se quebras físicas de alguns jogadores [por falta de treinos] e as coisas complicaram-se graças também à equipa de arbitragem. Os meus jogadores que sentem bastante a camisola, sentiram-se injustiçados e perderam a cabeça quando o Alfarim marcou o seu terceiro golo. Mesmo assim, ainda conseguimos chegar à vitória apesar de estarmos a jogar somente com 8 jogadores. O autogolo é uma infelicidade deles mas no fundo acaba por colocar alguma justiça no marcador pelo jogo que o Paio Pires fez. Há que dar os parabéns à minha equipa e em especial à atitude que tiveram logo a seguir ao intervalo, depois da conversa que tivemos no balneário”.

 JOSÉ CARLOS, treinador do Alfarim: 

 “Oferecemos a vitória ao Paio Pires”

  “Entrámos bem, começámos a dominar o jogo e marcámos um golo. Depois, o Paio Pires reagiu, nós deixámos de ter bola e consentimos alguma pressão sem passar, contudo, por grande perigo. Na segunda parte, tínhamos programado meter bola e tirar a iniciativa ao adversário mas em poucos minutos sofremos três golos. Mesmo assim, a equipa recompôs-se, foi para cima, chegou ao 3-3 e dispôs de uma outra oportunidade, que acabou por não ser porque foi assinalado indevidamente um fora-de-jogo a um nosso jogador que tinha tudo para fazer golo e depois, praticamente no último lance onde estavam apenas dois jogadores do Alfarim, oferecemos a vitória ao Paio Pires. O Alfarim joga sempre para ganhar, como fez em Paio Pires, passou alguns momentos de turbulência, ineficácia e falta de discernimento mas a equipa conseguiu levantar-se, foi à procura do resultado, fez dois golos e quando estava por cima e a jogar com mais elementos, oferecemos o ouro ao bandido. Nós nunca pensámos na subida de divisão, o que pensamos é em ganhar todos os jogos. Agora vamos tentar ganhar o próximo e os que vierem a seguir, depois no fim fazemos as contas”.

FICHA DE JOGO 

Jogo no Campo Vale da Abelha, em Paio Pires
ÁRBITRO: Rui Ramos (Setúbal), auxiliado por Rogério Miranda e Pedro Prata

PAIO PIRES: Paulo Silva; Adérito, Lourenço, Márcio, Bruno Almeida (Marcelino, 52’); Moreira, Manuel Fernandes; André Pinto, Eddy, Edgar (Pedro Alves, 60’) e Telmo (Laranjeira, 85’).
Suplentes não utilizados: Daniel, Fernando e João Martins
TREINADOR: Paulo Cardoso

ALFARIM: Sérgio; Tiago Veríssimo (Valter, 40’), Elson (Luís Marques, 52’), Ricardo Marinheiro, Rão; Paiva, Tiago Carvalho, Leite, Bernardo; Bolacha, Estrela
Suplentes não utilizados: Flávio, Bruno Correia, Bruno Carvalho, Ginelson. 
TREINADOR: José Carlos

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: 0-1, Estrela (15’); 1-1, Telmo (46’); 2-1, Eddy (49’); 3-1, Edgar (55’); 3-2, Bolacha (76’); 3-3, Luís Marques (90’); 4-3, autogolo de Rão (90+5’).
Disciplina: cartão amarelo para Leite (30’); Estrela (42’); André Pinto (42’); Lourenço (66’); Luís Marques (75’); Moreira (84’) e Laranjeira (88’). Cartão vermelho directo para Márcio (90’) e Marcelino (90’).

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here