1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 0 ALFARIM 1

Alcochetense está há três jogos sem ganhar…

ALFARIM FOI A GRANDE SENSAÇÃO DA JORNADA

O Alfarim foi a grande sensação da 6.ª jornada do campeonato distrital da 1.ª divisão ao conquistar os três pontos na sua deslocação ao Campo António Almeida Correia “Foni” onde derrotou o Alcochetense por uma bola a zero. Com a vitória conquistada, os alfarinheiros [que têm menos um jogo] subiram ao quinto lugar da tabela classificativa liderando um grupo de equipas [constituído por Monte de Caparica, Sesimbra e Alcochetense] com 10 pontos.

Para a equipa de Alcochete este desaire, que foi o segundo consecutivo depois do empate caseiro com o Banheirense, originou uma queda acentuada na classificação mas nada está perdido porque a diferença para os primeiros é apenas de três pontos e o campeonato ainda está no princípio.

A vitória do Alfarim acabou por ser consumada com um golo de Ivo Mendes que concluiu de forma exemplar um livre cobrado por Tiago Carvalho, após assistência de Adrien, aos 66 minutos de jogo.

Em desvantagem a equipa de Alcochete continuou à procura do golo e dispôs de várias oportunidades para marcar mas não conseguiu uma vezes devido à valentia do guarda-redes do Alfarim que fez excelentes defesas, outras por falta de eficácia em termos ofensivos e por último porque o ferro da baliza adversária não deixou.

No final, apesar da derrota, Zé Pedro diz que até gostou da forma como a sua equipa se bateu na procura de um resultado diferente e José Carlos Oliveira reconheceu que conquistou os três pontos com alguma dose de felicidade.

Na próxima jornada, o Alcochetense volta a jogar em casa, desta vez com o Comércio e Indústria e o Alfarim recebe no seu parque desportivo [que está prestes a ser melhorado com novos balneários e uma nova bancada] a equipa do Grandolense que se encontra em segundo lugar com os mesmos pontos do primeiro [Amora].



A OPINIÃO DOS TREINADORES

ZÉ PEDRO, treinador do Alcochetense

“Estivemos sempre por cima mas acabámos por perder”

“Entrámos bem no jogo e estivemos bem durante a maior parte do tempo, sempre com maior domínio e controle do jogo. Tivemos várias ocasiões para marcar ainda na primeira parte e ao intervalo disse aos jogadores que estávamos a jogar bem porque chegávamos com relativa facilidade à zona de concretização com três e quatro jogadores, faltando apenas alguma falta de serenidade no momento decisivo. Em termos defensivos estávamos bem porque o Alfarim praticamente só incomodava nas bolas paradas. O intervalo chegou com 0-0 mas com o Alcochetense esteve sempre por cima. Na segunda parte tudo continuou na mesma porque continuámos a criar oportunidades. O Alfarim quase que deixou de atacar porque jogava com todos os jogadores atrás da linha da bola mas num contra-ataque acabaram por finalizar. Volto a dizer que estivemos sempre por cima do jogo, criámos inúmeras oportunidades claras para marcar mas acabámos por perder porque consentimos o golo quando nada fazia prever. O futebol é isto. Para além da derrota gostei bastante da prestação da equipa porque criou muitas ocasiões flagrantes, ao contrário do que havia feito nos jogos com o Barreirense e Banheirense. Vamos ter que continuar a trabalhar porque uma equipa com objectivos, como a nossa, não se pode dar ao luxo de perder pontos principalmente nos jogos em casa”.



JOSÉ CARLOS OLIVEIRA, treinador do Alfarim:

“Os jogadores foram inexcedíveis e acabaram por merecer a vitória”

“Foi um jogo muito competitivo num relvado rápido que se apresentava em boas condições tendo em conta a chuva que caiu. Na primeira parte não houve grandes oportunidades de golo. Na segunda parte manteve-se a toada mas nós conseguimos fazer o golo num livre do Tiago Carvalho em que o guarda-redes defende para a frente, o Adrien apareceu e deu para o Ivo, que marcou. A partir daí a coisa mudou um pouco, tivemos ainda duas oportunidades, sendo uma delas numa situação de dois contra um mas na parte final o Alcochetense complicou em algumas situações mas o nosso guarda-redes com duas boas defesas e a barra (aos 90+4’) não permitiram que chegasse ao golo. Ou seja, acabámos por ter a sorte que nos faltou noutros jogos. De lamentar a lesão do Tiago Veríssimo que teve que ir para o hospital. Depois disso, o jogo tornou-se complicado para nós mas a equipa uniu-se, teve um espirito de sacrifício notável e conseguiu os três pontos, embora o Alcochetense nessa altura tivesse pressionado bastante. O empate poderia ter acontecido, assim como a vitória para qualquer um dos lados, mas nós soubemos gerir bem o jogo. Os jogadores foram inexcedíveis e acabaram por merecer a vitória pela maneira como se bateram, mesmo jogando durante algum tempo com menos um jogador. Já tivemos jogos onde fomos mais superiores e não ganhámos daí dizer que foi uma vitória conseguida com alguma dose de sorte”.




FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio António Almeida Correia “Foni”, em Alcochete
ÁRBITRO: Sérgio Lobo (Núcleo de Almada / Seixal)

ALCOCHETENSE: Pedro Cardoso; Bruno Pais, Gil, Cunha, Kiki (Nivaldo, 55’); Piqueira (Queijinho, 65’), Rafael (Pochi, 75’), Feiteira; Marco Véstia, Peter e Tiago Carvalho.
TREINADOR: Zé Pedro

ALFARIM: Sérgio; Tiago Veríssimo, Tiago Dias, Elson, António Pires; Paulo Vítor, Bolacha, André Pinto (Tiago Carvalho, 7’), Luís Carlos (Adrien, 65’); Ivo Mendes e Mantorras (Fábio Nunes, 80’).
TREINADOR: José Carlos Oliveira

Ao intervalo: 0-0
Marcador: 0-1, Ivo Mendes (66’).
Share on Google Plus