1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» BANHEIRENSE 1 COM. INDÚSTRIA 0 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

17 de novembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» BANHEIRENSE 1 COM. INDÚSTRIA 0

Sadinos contestam o lance que motivou a falta…

Banheirense ganha com golo de penalti marcado já na compensação

 O Banheirense obteve a sua segunda vitória no campeonato no jogo realizado contra o Comércio e Indústria, no Municipal do Vale da Amoreira e com os pontos conquistados subiu mais um degrau na tabela classificativa onde ocupa agora o 8.º lugar com os mesmos pontos do Barreirense que está posicionado na sétima posição.

Com a derrota sofrida a equipa sadina baixou para o 10.º lugar mantendo assim os seus sete pontos, tantos quantos tem o Alfarim e o Sesimbra.

O triunfo da equipa da Baixa da Banheira não foi nada fácil de conseguir devido por um lado à brilhante actuação do guarda-redes setubalense, Bonifácio, que foi retardando ao máximo o golo ao executar excelentes defesas e por outro lado derivado a uma tarde de menor acerto dos jogadores da equipa local.

O Comércio também dispôs de algumas ocasiões para marcar mas tal como o adversário não conseguiu concretizar, mantendo-se assim o nulo aos 90 minutos.

E, foi preciso esperar pelo período de compensação para ver finalmente a bola no fundo de uma das balizas num lance que originou alguma polémica devido ao facto do árbitro ter assinalado uma grande penalidade que no entender dos setubalenses não existiu. Nelson, chamado para converter a grande penalidade [que originou também a expulsão de Bonifácio] não vacilou e atirou a contar dando a vitória à sua equipa mesmo ao cair do pano.

Na próxima jornada o Banheirense desloca-se ao Montijo para defrontar o Olímpico, que causou sensação nesta jornada ao derrotar o U. Santiago em casa deste. E o Comércio e Indústria recebe o Barreirense, no Campo da Bela Vista.



A OPINIÃO DOS TREINADORES


RICARDO PARDAL, treinador do Banheirense:

"Bonifácio com uma grande exibição foi evitando o golo"

“A primeira parte foi muito mal jogada de parte a parte sem qualquer lance de perigo eminente para qualquer das balizas. O intervalo fez- nos bem, pois após algumas correcções, entrámos na segunda parte com a atitude e qualidade que costumamos colocar em campo, muito embora só a partir da expulsão do nosso jogador, por volta do minuto 65 minutos, tomássemos totalmente conta do jogo, criando um caudal ofensivo muito forte, onde por falta de acerto nosso na finalização ou por mérito do guarda-redes Bonifácio, que fez uma grande exibição, não fizemos golo. Felizmente um velho ditado aconteceu: água mole em pedra dura tanto bate até que fura. E, já nos descontos um penalti que não deixa dúvidas permitiu-nos chegar a uma vitória justíssima, porque fomos a única equipa que jogou para ganhar. Mesmo a jogar com 10 jogadores na última meia hora nunca se notou essa inferioridade. O adversário procurou somente levar um ponto, baixando linhas e apostando em contra-ataques que apenas por uma vez puseram em perigo a nossa baliza. Depois de uma má primeira parte, os meus jogadores deram uma excelente réplica na segunda metade do jogo e mereceram a vitória pela atitude e pela qualidade deixada em campo. Foram mais três pontos importantíssimos na luta pela permanência”.



CARLOS RIBEIRO, treinador do Com. Indústria:

“Não merecíamos ser derrotados pelo árbitro”

“A nossa intenção era tentar surpreender o adversário e estávamos à espera que eles arriscassem mais. A primeira parte foi equilibrada, embora eles tivessem tido mais domínio. Na segunda parte ficámos à espera do erro deles que por acaso até aconteceu por duas vezes em que podíamos ter feito golo por volta dos 80 minutos e depois aconteceu um erro clamoroso do árbitro [considerando que houve falta do nosso guarda-redes quando na verdade foi o jogador do Banheirense a ir de encontro a ele] que ditou o resultado. Continuam a ser os erros de arbitragem que decidem os jogos e os campeonatos. O Banheirense foi superior nos vinte minutos iniciais da segunda parte e teve duas boas oportunidades de golo. Não o fez porque temos um guarda-redes que se puder defender não vai deixar entrar as bolas. Estávamos a conseguir manter o nulo, depois reagimos, eles arriscaram mais e conseguimos também duas boas chances de golo com jogadores a desperdiçarem na cara do guarda-redes adversário. Por aquilo que fizemos merecíamos pelo menos o empate. O que não merecíamos era sermos derrotados pelo árbitro”.



FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Municipal do Vale da Amoreira, na Baixa da Banheira
ÁRBITRO: Mário Quendera (Núcleo do Pinhal Novo)

BANHEIRENSE: Andrade; Valdo, Hernâni, Bertrande, Honório; Rafa, Abu, Ruben (Nico, 60’); Daniel e Ailton (Nelson, 66’) e Zé Carlos (Tiago, 80’)
TREINADOR: Ricardo Pardal

COM. INDÚSTRIA: Bonifácio; Stefano (Diogo, 75’), Dani, Nuno, Madruga; Paulo Vinicius, Quimilson (Filipe, 70’), Daniel; Rui Faria, Rafa (Álvaro, 90’) e Bruno Gonçalves.
TREINADOR: Carlos Ribeiro

Ao intervalo: 0-0
Marcador: 1-0, Nelson (90+3’) gp.
Disciplina: Rafa (65’) foi expulso por acumulação e Bonifácio (90+3’) com vermelho directo.

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here