1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» PALMELENSE 0 U. SANTIAGO 1 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

24 de novembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» PALMELENSE 0 U. SANTIAGO 1

U. Santiago isolou-se no terceiro lugar…

Num jogo com poucas oportunidades golo de Daniel Direito fez a diferença


Foi num pelado em péssimas condições que se disputou o encontro entre o Palmelense e o U. Santiago a contar para a 6.ª jornada do campeonato distrital da 1.º divisão que terminou com a vitória da equipa alentejana por 1-0 com um golo marcado por Daniel Direito na cobrança de um livre directo, quando estavam decorridos 65 minutos de jogo.

Com a vitória alcançada a equipa de Santiago do Cacém isolou-se no terceiro lugar da tabela classificativa com 12 pontos; menos um que a dupla constituída pelo Amora e Grandolense que lideram. Quanto à equipa de Palmela que se encontra em penúltimo lugar somente com dois pontos fruto de dois empates conseguidos na Arrentela e no jogo que realizou em casa com o Grandolense.

O dia estava invernoso e o Campo Cornélio Palma, local onde os palmelenses já viveram momentos de glória, não se apresentava de forma nenhuma em condições aceitáveis para a prática do futebol e isso acabou por estragar o espectáculo que não foi famoso. Valeu a luta e a entrega dos jogadores que tentaram fazer o melhor possível. No final saiu vitoriosa a equipa alentejana que acabou por ser mais eficaz devido ao remate certeiro de Daniel Direito mas o empate talvez tivesse reflectido melhor o que se passou dentro das quatro linhas, como aliás reconhece o próprio treinador do U. Santiago. Mas, o futebol é mesmo assim…

Na próxima jornada o Palmelense viaja até ao vale da Amoreira para defrontar o Banheirense e o U. Santiago recebe a visita do Sesimbra.



A OPINIÃO DOS TREINADORES


EDU MACHADO, treinador do Palmelense:

“O empate já seria um resultado injusto, quanto mais a derrota”

“Se na última semana tinha dito que o que fizemos foi uma vergonha, era porque sabia do real valor da minha equipa que hoje demonstrou e provou que o que se passou foi um acidente de percurso. Jogámos contra uma equipa muito poderosa com um grande orçamento mas que em nada foi superior ao Palmelense, excepto naquilo que é mais importante no futebol, na eficácia. Os meus jogadores fizeram um grande jogo e creio que o empate já seria um resultado injusto, quanto mais saírem penalizados com uma derrota. Ganhou a equipa mais feliz que numa bola parada conseguiu fazer aquilo que não conseguimos por seis ou sete vezes. Parabéns ao U. Santiago, mas parabéns também aos meus jogadores que, hoje, sim, dignificaram o nome e as cores do clube. Queria também deixar uma nota para o péssimo estado do nosso campo que para mim tem consequências graves naquilo que são as decisões em jogo e castigos que não entendo. Para as outras equipas um cartão vermelho é punido com um jogo ou o jogador despenalizado e nosso caso os jogadores levam três jogos, mesmo com imagens a comprovar. Não sei como é possível as decisões nos jogos serem sempre contra o Palmelense e que na marcação dos livres a distância da barreira para o adversário ser nove passes de gigante e para nós sete passos de anão. Parece que nos querem atirar abaixo porque os meus heróis que andam à chuva e ao frio a custo zero jogam quase sempre contra 14levando castigos que não se percebem. Se não queriam pelados no distrital não aceitavam a nossa entrada. Tenho muito respeito pelo trabalho de todos aqueles que estão relacionados com o futebol mas está na altura de nos respeitarem também porque não temos culpa de estarmos onde estamos”.



JOÃO DIREITO, treinador do U. Santiago

“O resultado mais correcto seria o 0-0 porque premiava as duas equipas”

“Foi um jogo disputado num espaço que não tinha as mínimas condições para que o futebol se jogasse com alguma qualidade técnica e táctica e, quando assim é, as equipas tentam construir o seu jogo de forma objectiva e mais directa na procura do golo. As duas equipas foram dignas uma da outra em função da luta, do querer e da vontade em praticar algum futebol nas condições em que o pelado se encontrava. A eficácia nestes jogos premeia sempre quem é mais eficaz. E foi o que aconteceu com a equipa do U. Santiago a conseguir um resultado positivo. Num resumo mais objectivo, acho que as duas equipas não merecíamos perder pelo esforço e dedicação que tiveram durante o jogo. Lamenta-se que ainda se façam nos dias de hoje jogos naquele tipo de terreno, que não proporciona futebol nenhum. De resto, penso que o Palmelense tem valor para mostrar mais futebol mas que as condições do seu espaço não permitem fazer melhor. Quero também salientar a coragem do árbitro em fazer um jogo naquelas condições realizando um trabalho positivo. Normalmente a opinião de quem ganha é diferente de quem perde mas acho que o resultado correcto seria o 0-0 porque premiava as duas equipas”


FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Cornélio Palma, em Palmela
ÁRBITRO: André Pagaime (Núcleo do Pinhal Novo)

PALMELENSE: Neves; Pedrinho, Jones, Teixeira, Marco; Tony (Ruben, 75’), Paulo Sousa, Celkio; Alex (Vítor Hugo, 60’), Gaspar e Grampola (Brito, 60’).
TREINADOR: Edu Machado

U. SANTIAGO: Ruben; Bachir, Fábio Oliveira (André Oliveira, 60’), Baixinho, Alexandre; Ramirez, João Generoso, Daniel Direito; Ruan (Ivan, 90’), Abdul (Neves, 80’) e Amadeu.
TREINADOR: João Direito

Ao intervalo: 0-0
Marcador: 0-1, Daniel Direito (65’)

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here