1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 1 BANHEIRENSE 1 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

domingo, 9 de novembro de 2014

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCOCHETENSE 1 BANHEIRENSE 1

Banheirense queixa-se de penalti mal assinalado…

Alcochetense perde primeiros pontos mas continua em primeiro

 O Alcochetense, que vinha de três vitórias nos três jogos realizados, perdeu os seus primeiros pontos no campeonato na partida que disputou com o Banheirense que mais mostrou a sua qualidade baseada numa estratégia que resultou na perfeição.

Depois de analisarmos as declarações dos treinadores chegámos à conclusão que se tratou de um jogo equilibrado e com poucas oportunidades de golo. Em relação ao desfecho final sobressaem as declarações de Zé Pedro que considera a igualdade como um resultado justo e a opinião de Ricardo Pardal que diz que a sua equipa foi prejudicada pelo árbitro que assinalou um penalti que não existiu.

Seja como for uma coisa é certa; ao intervalo o resultado era de 0-0. Depois, na segunda parte, Ricardinho, na cobrança de uma grande penalidade, aos 65 minutos, abriu o activo para o Alcochetense mas o Banheirense, que nunca se deu por vencido, passado algum tempo conseguiu igualar, mantendo-se assim o resultado até final.

Com este resultado a equipa de Alcochete permitiu a aproximação do Amora [que tem menos um jogo] e do U. Santiago que ficaram apenas a um ponto da liderança. A equipa da Baixa da Banheira, que neste início de campeonato tem defrontado equipas de respeito [U. Santiago, Alfarim, Barreirense e Alcochetense] está em 9.º lugar com cinco pontos.

Na próxima jornada o Alcochetense desloca-se ao Campo da Verderena para defrontar o Barreirense naquele que vai ser o jogo mais mediático da ronda enquanto o Banheirense recebe o Comércio e Indústria que nesta jornada perdeu em casa com o U. Santiago.


A OPINIÃO DOS TREINADORES

ZÉ PEDRO, treinador do Alcochetense

“Resultado aceita-se porque houve mérito do adversário na abordagem ao jogo”

“Jogávamos em casa e a ideia passava por ganhar para dar continuidade às vitórias mas encontrámos pela frente um adversário organizado que procurou somente o empate. Nós assumimos o jogo logo de início procurando jogar através dos corredores na tentativa de chegar ao golo, tivemos mais domínio e jogámos quase sempre no meio campo ofensivo mas só conseguimos marcar na segunda parte através de uma grande penalidade. A partir daí o jogo foi mais repartido mas ainda antes do Banheirense ter chegado ao empate tivemos uma boa oportunidade para fazer o 2-0, mas não conseguimos. Depois eles arriscaram mais porque começaram a acreditar que podiam lá chegar e acabaram por conseguir a igualdade praticamente na única oportunidade que tiveram. Após o golo voltaram novamente ao normal, continuaram a jogar com a equipa muito baixa, sempre atrás da linha da bola e nós não conseguimos lá entrar. Creio que o resultado se acaba por ajustar porque também houve mérito do Banheirense na abordagem ao jogo”.


RICARDO PARDAL, treinador do Banheirense

“Penalti mal assinalado impediu-nos de trazer os três pontos de Alcochete”

“Sabíamos perfeitamente do grau de dificuldade deste jogo porque jogávamos frente a um candidato ao título e em casa deste. Na primeira parte praticamente não houve lances de perigo, apenas há a registar uma oportunidade flagrante para cada uma das equipas. Perante o que as equipas produziram neste período o empate ajustava-se porque nós tivemos sempre o jogo controlado. Na segunda parte as coisas foram bem diferentes porque a bola andou mais perto das duas balizas, mas mesmo assim sem grande perigo. Depois surgiu o caso do jogo com o árbitro a marcar um penalti que não existiu porque o meu jogador corta a bola e depois o contacto é inevitável. Mas, ainda que o árbitro achasse que era falta, a mesma teria sido uns bons dois metros fora da área. A pressão constante dos adeptos da equipa da casa condicionaram o trio de arbitragem, principalmente o auxiliar do lado da bancada que não acertou uma decisão no nosso ataque. Apesar da contrariedade, a minha equipa não baixou os braços, pegou no comando do jogo e a partir daí só deu Banheirense. Chegámos ao golo do empate e ainda tivemos dois ou três lances muito perigosos para marcar, mas infelizmente não conseguimos chegar à vitória. Deixo aqui os parabéns aos meus jogadores pela atitude, pela ambição e pela coragem que demonstraram uma vez mais perante uma equipa com outras aspirações e com todas as condições de trabalho, diferenças que não se notaram dentro de campo. A continuar assim o futuro será risonho e os nossos objectivos serão certamente atingidos”.


FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio António Almeida Correia “Foni”, em Alcochete
ÁRBITRO: José Palma (Núcleo de Setúbal)

ALCOCHETENSE: Pedro Cardoso; Portela (Bruno Pais, 25’) Gil, Cunha, Kiki; Piqueira, Milton (Queijinho, 55’), Feiteira; Marco Véstia, Ricardinho, Peter (Tiago Carvalho, 60’).
TREINADOR: Zé Pedro

BANHEIRENSE: Andrade; Honório, Hernâni, Valdo, Morgado (Euclides, 65’); Rachid, Abu, Nelson (Ruben Silva, 75’); Daniel, Nico e Zé Carlos (Bertrand, 70’).
TREINADOR: Ricardo Pardal

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: 1-0, Ricardinho (65’) gp; 1-1, Euclides (82’).

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here