CHARNECA DE CAPARICA»» Élio Santos fala do seu regresso à actividade

Afirma o treinador com convicção:

“A posição que o clube ocupa na tabela classificativa não é problema para mim”

Élio Santos é um dos treinadores mais credenciados da região. No seu curriculum constam alguns títulos, passagens por competições de âmbito nacional e clubes que normalmente jogam para os primeiros lugares. Aconteceu assim nos Pescadores da Costa de Caparica, no Alcochetense e também no Almada, clube que representou nas últimas três temporadas. No final da época passada resolveu parar para reflectir sobre algumas situações mas não demorou a regressar ao activo.

O Charneca de Caparica, último classificado da 1.ª divisão da Associação de Futebol de Setúbal, chamou-o e ele depois de ponderar o convite resolveu aceitar e passa a explicar porquê:

Nasci na Charneca, tenho a minha família na Charneca, vivo na Charneca, trabalho na Charneca e neste momento disponibilizei-me, mesmo sentindo que é um clube que está numa posição bastante ingrata. A posição que ocupa na tabela classificativa não foi problema para mim. É um desafio entrar num clube nestas circunstâncias, os jogadores não ganham absolutamente nada, mas sinto que é um clube onde existe muita gente séria e muita gente honesta. O bairrismo que se vê aqui é de facto fantástico porque se sente que as pessoas trabalham todas com o mesmo objectivo e todas para o mesmo lado. Quando assim é vale a pena. Estou aqui apenas há uma semana mas já começo a sentir que se trata de um clube diferente de todos aqueles por onde já passei”.

Sobre a interrupção na sua actividade desportiva o treinador considera que “a paragem foi importante porque tinha várias situações familiares pendentes. Assim, aproveitei para as resolver e também para descansar um pouco da vida super intensa e activa que qualquer treinador tem. Foram 20 anos sem nunca interromper. Estou muito satisfeito com este regresso à actividade porque acontece num clube que acaba de fazer história na europa, e se calhar no mundo inteiro, ao fazer subir quatro equipas numa só época”.



Share on Google Plus