DUARTE CORREIA»» Jogador sub-13 do Sporting - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

terça-feira, 9 de março de 2021

DUARTE CORREIA»» Jogador sub-13 do Sporting

 

 

Está a despertar o interesse de outros clubes nacionais e internacionais…

 

 

HÁ MAIS UMA ESTRELA DA REGIÃO A DESPONTAR NO FUTEBOL NACIONAL

 

 

Começou a jogar no Leão Altivo, reside na Quinta do Anjo e é filho de Paulo Correia que foi treinador do Amora e mais recentemente coordenador de uma Academia na China.

 

 

Duarte Correia tem apenas 13 anos, é defesa central, joga no Sporting e tem o sonho de vir a ser profissional de futebol. Começou a jogar na margem sul, no Leão Altivo, mas cedo despertou o interesse de outros clubes como o Sporting, Benfica, FC Porto e até mesmo o Real Madrid. Ganhou vários prémios individuais e colectivos e optou por representar o Sporting que pretende renovar o vínculo com o jogador, só que as propostas continuam a surgir tanto de Portugal como do estrangeiro e também tem sido muito aliciado por empresários, mas o pai continua a acreditar plenamente no Sporting.

 

 

Tudo indica que mais uma estrela está a despontar no futebol nacional, um jogador que tem características muito idênticas a Gonçalo Inácio que é citado pela jovem promessa como um bom exemplo para continuar a alimentar o sonho de vir a singrar no mundo do futebol. 


 

O facto de o teu pai ser treinador teve alguma influência em teres optado pelo futebol?

O meu pai nunca me disse para eu jogar futebol ou para ser deste ou daquele clube. Quando nasci, o meu pai já era treinador de futebol. Cresci entre os balneários e os relvados no meio dos jogadores do meu pai. Por isso, o futebol foi uma escolha natural para mim.

 

Como tem sido a tua carreira de futebolista até ao momento?

Já jogo futebol desde os 5 anos mas não posso falar de carreira porque essa vai começar agora com a passagem para o futebol de 11. Comecei no Leão Altivo onde fiz muitos amigos e conquistei muitos títulos colectivos e individuais. Joguei muitas vezes no escalão mais velho mas foi no meu escalão que tive os maiores sucessos, melhor jogador no Mealhada Cup e título colectivo de vencedores do Oestemania. Desde os 6 anos que fui sendo convidado a treinar no Sporting, Benfica, Porto, entre outros, mas com essa idade só pensava no Leão Altivo e nos meus amigos. Fui treinar a esses clubes mas queria sempre voltar ao meu clube. Aos 8 anos o Sporting falou com os meus pais no sentido de lá ir treinar uma vez por semana e fazer torneios nacionais e internacionais, mas continuando a jogar para o campeonato pelo Leão Altivo. Esta opção e o facto de ter gostado muito do primeiro treinador que tive no Sporting (mister Bernardo), foram as razões que me levaram para o Sporting. Aos 10 anos passei definitivamente para o Sporting passando a ter boleia da carrinha do clube três vezes por semana para os treinos em Lisboa, pois vivo na Quinta do Anjo - Palmela. 

 

O ingresso no Sporting foi um passo importante no teu percurso?

Hoje reconheço que sim, mas como disse anteriormente não foi fácil deixar os meus amigos e o clube onde "nasci" para o futebol. No Sporting, fiz novos amigos. Aqui são todos muito bons, o que me faz evoluir todos os dias. Reconheço que tenho boas qualidades ao nível do passe e conhecimento do jogo apesar de jogar a defesa central ou defesa esquerdo. Mas tenho muito que evoluir noutros aspectos e havendo muita competitividade no plantel faz com que me tenha de superar todos os dias.


 

 

A pandemia tem causado alguns transtornos na preparação da época? 

Eu estava a fazer a transição do futebol de 9 para futebol de 11 quando se deu a pandemia e por essa razão veio atrapalhar a adaptação. Mas o pior foi ter de deixar de fazer o que mais gosto, treinar e jogar. Deixámos de ter jogos e isso faz com que a motivação baixe um pouco. Agora a única competição que tenho são nos jogos da playstation mas continuo a treinar todos os dias, com treinos adaptados enviados pelo Sporting ou com pequenas corridas com os meus pais e irmã. 

 

Quais são os teus projectos para o futuro? 

Quero  muito vir a ser jogador de futebol. Sei que muitas crianças também têm esse sonho, mas o meu pai vai-me dando umas dicas do que fazer para superar as dificuldades. Ele não me diz nada sobre como devo jogar, diz que esse é o papel dos meus treinadores; mas vai dando indicações sobre as dificuldades que tenho de superar. Por exemplo, estive a ler o livro do Mister Luís Dias “Jogar com os pés e cabeça”, por indicação dele, e aprendi um pouco sobre o percurso que ainda tenho de percorrer. Neste momento vejo o Gonçalo Inácio (tenho características parecidas) a ser titular da equipa principal  com 19 anos e isso leva-me a acreditar que com trabalho posso vir a concretizar o meu sonho de vir a ser futebolista profissional. Em paralelo tenho de continuar focado na escola para continuar a ter boas notas.  


 

 

O mais importante na idade dele é a estabilidade

 


 

“Antes de ingressar no Sporting teve um convite para fazer um jogo treino pelo Real Madrid num torneio, acabou por não ir pois nessa data teve de ser operado a um quisto. Dissemos-lhe que seria apenas uma experiência, pois nunca iria para o Real Madrid com 10 anos. Curiosamente, uns meses depois num outro torneio em Espanha, já ao serviço do Sporting, o Duarte jogava contra Real Madrid”, conta o pai da jovem promessa.


“Com o ingresso no Sporting, pensávamos que os convites iriam terminar mas eles continuaram a surgir tanto de Portugal como do estrangeiro, incluindo a sondagem de um grande de Itália e outro de Inglaterra, para além do aliciamento de empresários. Mas a minha resposta é sempre a mesma, confio plenamente no Sporting, o mais importante na idade dele é a estabilidade”.

 

“Ele tem muito potencial, ainda não deu o salto pubertário mas já é dos mais altos, ganha corta-matos e mega-sprints escolares, tem uma leitura de jogo muito boa, bate livres com uma precisão incrível e é muito bom no passe curto e longo, mas ainda tem muito para melhorar na relação com a bola em espaços curtos e na agressividade defensiva. Esta é a leitura que faço enquanto treinador mas não me meto em nada neste processo, deixo isso para os treinadores dele”, deixa bem vincado Paulo Correia. 

loading...

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here