2.ª DIVISÃO DISTRITAL – BANHEIRENSE 3 ARRENTELA 0 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

segunda-feira, 11 de março de 2013

2.ª DIVISÃO DISTRITAL – BANHEIRENSE 3 ARRENTELA 0

Os arrentelenses só se podem queixar de si próprios… 

  O Arrentela não entrou nada bem na segunda fase do campeonato distrital da 2.ª divisão e como consequência disso cedeu o primeiro lugar da tabela classificativa ao União de Santiago que venceu nas Lagameças, por 1-0.

A derrota sofrida na partida disputada na Quinta da Carvalheira, com o Banheirense, por 3-0, pode dizer-se que foi inteiramente justa porque o Arrentela esteve muitos furos abaixo daquilo que na realidade vale.

Os arrentelenses só se podem queixar de si próprios porque realizaram muito provavelmente a mais fraca exibição da época ao contrário da equipa da Baixa da Banheira que esteve bem melhor durante toda a partida, apesar de jogar mais de 75 minutos com apenas 10 unidades por expulsão de um dos seus jogadores.

Ao jogo sofrível dos arrentelenses respondeu de forma bastante positiva o Banheirense que se mostrou bastante eficaz em termos ofensivos, marcando três golos sem resposta. Para além da perda da liderança, o Arrentela viu também aproximar-se de forma bastante perigosa o Banheirense que está perfeitamente integrado na luta pela corrida à subida de divisão.

Na próxima jornada, o Arrentela recebe o Lagameças; o Banheirense viaja até à Quinta do Conde e o U. Santiago joga em casa com o Faralhão.



RICARDO PARDAL, treinador do Banheirense:

“Espicaçada pela expulsão injusta, a equipa uniu-se” 

 Bastante satisfeito com o desempenhos dos seus jogadores ficou o técnico do União Banheirense:
 "O União entrou em campo com o intuito de procurar a vitória e após um início de jogo um tanto ou quanto faltoso, tomou conta da partida e acercou-se da baliza do Arrentela criando duas boas ocasiões para marcar. Perto dos 20 minutos aconteceu o caso do jogo, com uma expulsão (por duplo amarelo) classificada por toda a gente como um dos poucos erros do árbitro. Espicaçada pela expulsão injusta, a equipa uniu-se com um espírito guerreiro já característico e foi para cima do adversário, não se notando em momento algum a inferioridade numérica, e com naturalidade chegou ao intervalo a vencer 1-0. Na segunda parte, a jogar a favor do vento, esperava-se um Arrentela mais pressionante na procura de um resultado diferente. Mas, com uma estratégia muito bem montada, quem voltou a marcar foi o Banheirense que aumentou o marcador, sem surpresa, para 3-0. E, a vantagem ainda poderia ter sido maior se tivesse concretizado as outras duas ou três oportunidades criadas. De salientar, entretanto, a grande coesão defensiva da equipa da casa que não permitiu qualquer oportunidade de golo ao Arrentela. Portanto, a vitória do União foi inteiramente justa e não merece qualquer tipo de contestação”.


 JOSÉ CARLOS SANTOS, treinador do Arrentela:

 “Não criámos uma única oportunidade de golo” 

No final da partida, o treinador do Arrentela estava completamente desolado com a exibição da sua equipa:
Jogar contra dez é por vezes mais difícil que jogar contra onze. E, aqui nem o pelado pode servir de desculpas porque não criámos uma única oportunidade de golo durante toda a partida. Com este resultado fica em perigo a subida, mas, jogos como estes, às vezes servem para ligar o alarme. A equipa tem consciência da má exibição que fez. Portanto, espero que este jogo tenha servido de lição e que possa trazer ainda mais união ao grupo de trabalho que, pelo que sei, estava disposta a jogar a próxima jornada já amanhã. Conheço bem a equipa que tenho. Só espero que este tenha sido o único jogo com uma exibição tão apagada, na segunda fase. Acredito no grupo desde o primeiro dia e estou plenamente confiante em relação ao futuro. Boa arbitragem de um árbitro muito experiente que soube deixar jogar. O seu trabalho não teve qualquer influência no resultado".



FICHA DO JOGO 

Jogo no Campo da Qt.ª da Carvalheira, na Vinha das Pedras (Moita) 
ÁRBITRO: José Palma (Setúbal) 

BANHEIRENSE: Washington; Diogo (Pais, 60'), Colaço, Cordeiro, Tarik (Neto, 77'); David, Euclides, Coelho; Lúcio (Rafa, 67'), Celestino e Gonçalo. 
TREINADOR: Ricardo Pardal 

ARRENTELA: Fábio; Antunes (Pipoca, 68’), Louro, Gémio, Pinheiro; Serrinha, Elias, Abreu (Viegas, 75’); Ruben (Vilar, 68’); Nascimento (cap.) e Jorge Santos II. 
TREINADOR: José Carlos Santos 

Ao intervalo: 1-0 
Marcadores: 1-0, Diogo (45+1’); 2-0, Pais (62’); 3-0, Tarik (73’)

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here