1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» Almada 1 Monte Cap. 1 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

26 de abril de 2015

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» Almada 1 Monte Cap. 1

Monte de Caparica marcou os dois golos…

Relvado e condições climatéricas não deixaram fazer mais e melhor

O Complexo Desportivo do Pragal foi palco de mais um dérbi do concelho de Almada que terminou empatado. Almada e Monte de Caparica não conseguiram desenvencilhar-se um do outro e a repartição de pontos acabou por acontecer num jogo onde aconteceu de tudo um pouco.

Com o relvado em más condições as equipas tentaram fazer o seu melhor mas o espectáculo produzido não foi de grande qualidade e no final a igualdade parece ter sido mesmo o desfecho mais justo porque nenhuma das equipas se conseguiu superiorizar de à outra e também porque foram escassas as oportunidades de golo de parte a parte.

A primeira equipa a marcar foi o Almada que por volta da meia-hora de jogo beneficiou de um golo marcado na própria baliza pelo lateral esquerdo do Monte de Caparica, Heta.

Na segunda parte o Monte de Caparica foi à procura do empate que acabou por acontecer na sequência de uma grande penalidade que terá deixado algumas dúvidas. Albasini chamado a cobrar não desperdiçou a oportunidade e colocou o marcador igualado a uma bola, resultado que se manteve até final.

Com este resultado ambas as equipas mantiveram as suas posições na tabela classificativa. O Monte de Caparica [que é o campeão do empates] está em 9.º lugar com 36 pontos e o Almada em 10.º lugar com 31 pontos.

Na próxima jornada o Monte de Caparica recebe o Beira Mar de Almada [em mais um dérbi concelhio] e o Almada volta a jogar em casa, desta vez com o Alfarim.


A OPINIÃO DOS TREINADORES

NUNO ALVES, treinador do Almada:

“O nosso guarda-redes já tinha a bola na sua posse quando o adversário caiu no chão”

“Mais uma vez, e como tem sido habitual na nossa casa, foi um jogo feio. Bem disputado, mas mal jogado, derivado ao estado do relvado e às condições climatéricas que também não ajudaram. Entrámos no jogo determinados em marcar primeiro, através de lançamentos longos e conseguimos criar algumas situações complicadas para o Monte. Ganhámos alguns cantos onde conseguimos finalizar mas sem sucesso até que em uma jogada de insistência, e após cruzamento para a área, um jogador do Monte faz auto golo. Na segunda parte, o Monte de Caparica entrou melhor, criou algumas situações que poderiam ter sido complicadas para a nossa equipa mas conseguimos sempre resolver da melhor maneira até que a árbitra decide marcar um penalti que só ela viu num lance em que o nosso guarda-redes já tinha a bola em sua posse quando o jogador adversário caiu no chão. É mais do mesmo. Depois do golo a nossa equipa reagiu e fomos à procura do segundo golo que esteve prestes a acontecer no final do quando atirámos uma bola à trave. Quero agradecer aos jogadores do Almada pelo facto de nunca se terem desunido e por em todos os treinos e jogos darem o máximo, sabendo sempre que é um castigo jogar no nosso campo. Todos mereciam mais, acredito que no próximo ano esta situação não se repetirá”.


JOSÉ MEIRELES, treinador do Monte de Caparica:

“Para que fosse mesmo um dérbi faltou um relvado em condições e uma equipa de arbitragem à altura”

“Tivemos mais um dérbi na cidade de Almada, mas para que tivesse sido um dérbi completo faltou um campo em condições e uma equipa arbitragem à altura. Em minha opinião fomos a melhor equipa em campo, marcámos os dois golos e ainda íamos fazendo um segundo autogolo. O Almada só incomodou o nosso guarda-redes depois da entrada do Luisinho. Até lá, ele teve uma tarde mais ou menos tranquila mas o mesmo poderá dizer o guardião da equipa da casa porque também nós não conseguimos incomodá-lo muitas vezes. Quero realçar o esforço das duas equipas em tentar jogar num campo praticamente impraticável e após a carga de água que caiu ao intervalo deixou-o mais impraticável ainda. Foi um jogo mal jogado não por falta de qualidade das equipas mas sim porque o campo não deixava jogar melhor e assim só tenho que se aceitar a divisão de pontos. Quanto à equipa de arbitragem não me quero alongar muito. Já contávamos com o que viemos a encontrar até porque ainda temos na memória o jogo que nos apitou o ano passado na Amora. Direi apenas que esteve tão bem como o relvado do Almada; dualidade de critérios incrível, linguagem pouco própria para quem comanda um jogo. Penso que o Almada também terá as suas razões de queixa porque quanto a mim pareceu-me que o árbitro se equivocou no penalti que assinalou a nosso favor. Enfim, mais uma tarde para esquecer”.



FICHA DO JOGO

Jogo no Campo do Pragal, em Almada
ÁRBITRO: Sophia Rosa (Almada / Seixal)

ALMADA: João Marreiros; Óscar, Litos Bruno Mareco, Chiquinho; Ião, Jota (Luisinho, 76’), Chaves; Eli, Willians (Suelves, 70’) e Pipo (Flávio, 45’).
TREINADOR: Nuno Alves (Cirilo)

MONTE DE CAPARICA: Contradança; Aguilar, Pedro, Albasini, Heta; Austrelino, José João, Fábio (Flora, 45’); Miguel (Bambo, 65’), Lino e Hélder Leal (Henrique, 75’).
TREINADOR: José Meireles


Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Heta (29’) pb; 1-1, Albasini (56’) gp.




Post Bottom Ad

Responsive Ads Here