1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» Barreirense 1 Amora 1

Foi um jogo com duas partes distintas…  

Rivais continuam de braço dado no comando da tabela classificativa

Era considerado por muitos um jogo decisivo mas a grande verdade é que não decidiu nada, porque tudo ficou na mesma. 

O empate deixou as equipas igualadas no comando da tabela classificativa mas com o Barreirense em primeiro lugar porque dispõe de melhor goal-average [tem uma vantagem de sete golos]. Quer isto dizer que tudo continua em aberto no que respeita à conquista do título e que será vencedor a equipa que errar menos. 

Serão cinco finais, a primeira das quais a realizar já no próximo domingo com a realização da próxima jornada que vai levar o Barreirense à Charneca de Caparica enquanto o Amora recebe o Alcochetense.

Sobre o jogo [que foi bem disputado] parece não restarem dúvidas que o Barreirense esteve melhor na primeira parte e que o Amora foi superior na segunda.

Quem começou melhor foi a equipa do Barreiro com Amadeu a abrir o activo aos sete minutos tirando partido de um erro defensivo do adversário que demorou um pouco a recompor-se. Depois o jogo ficou um pouco mais equilibrado mas com poucas oportunidades de parte a parte, embora com maior número para a equipa anfitriã.

Como estava em desvantagem, o Amora ao intervalo mexeu na sua estrutura com a entrada de Lacão e Hugo Graça para os lugares de André Dias e Serginho e na segunda parte a equipa tornou-se mais ofensiva O Barreirense foi então obrigado a jogar com mais cautelas defensivas mas sempre pronto para tentar surpreender no contra-ataque. O Amora tinha um maior caudal ofensivo e ainda atirou uma bola ao poste mas o tempo corria a favor do Barreirense que se encontrava em vantagem. E quando decorria já o último minuto da compensação surgiu o golo do empate marcado por Paulo Tavares [que havia entrado aos 73’] na sequência de um pontapé de canto.  

Para o Amora, foi um golo que caiu do céu devido essencialmente devido à altura em que foi marcado e para o Barreirense um autêntico balde de água fria…


A OPINIÃO DOS TREINADORES

PEDRO DUARTE, treinador do Barreirense:

“Golo do empate foi para nós um balde de água fria”

“Sabíamos que era um jogo muito importante e queríamos ganhar para alargar a vantagem sobre o Amora. Foi um jogo muito disputado e muito equilibrado, mas com duas partes distintas. Na primeira parte, nós fomos superiores, tivemos o controle do jogo, marcámos cedo e ainda podíamos ter feito mais um ou dois golos (em dois remates do Ruben Guerreiro e numa boa jogada do lado direito que só não deu golo porque o Fabrício falhou já na pequena área) enquanto o Amora só de bola parada nos causava perigo, como aconteceu num cabeceamento do Alex que o Kevin defendeu. Acabámos a primeira parte a ganhar com justiça. Na segunda parte, o Amora fez alterações e entrou melhor que nós procurando o golo e balanceado mais no ataque. Nós ainda tivemos mais uma ou duas boas ocasiões para marcar (num remate de Bailão defendido pelo Madureira, num remate de Ruben de fora da área que saiu a rasar o poste e um outro de Amadeu que sozinho no segundo poste atirou ao lado) mas não conseguimos. O Amora também atirou uma bola ao poste e teve uma boa ocasião de golo já aos 93 minutos que o Kevin defendeu para canto do qual surgiu o golo do empate, acabando o jogo de seguida. Foi um balde de água fria. Mas, apesar do empate continuamos no primeiro lugar. Vai ser um campeonato muito equilibrado até ao final. Faltam cinco finais e nós vamos trabalhar bem e com atitude tal como temos feito até aqui, nunca fugindo da nossa filosofia, que é jogo a jogo. Só dependemos de nós". 



PEDRO AMORA, treinador do Amora:  

Somos uma equipa que não vira a cara à luta e que luta até ao fim”

“Não entrámos mal, mas a verdade é que sofremos um golo logo no início e demorámos algum tempo a encontramo-nos numa primeira parte repartida e com poucas ocasiões de golo. O Barreirense aproveitou no primeiro remate que faz à baliza. A segunda parte foi completamente diferente. Fizemos duas alterações ao intervalo e instalámo-nos no meio campo adversário. Criámos várias situações de golo, muitos cantos, muitos livres e o barreirense foi obrigado a defender-se como podia. A espaços foram tentando nas transições mas estas eram sempre anuladas por nós. Acabámos por fazer o golo já na compensação que premiou o querer e a vontade dos jogadores que fizeram uma segunda parte excepcional com a ambição que nos têm habituado e tivemos de facto a estrelinha [que nos tem faltado noutros jogos] no último minuto da compensação mas também fizemos por isso porque arriscámos, lutámos. Não era o resultado que ambicionávamos porque queríamos a vitória. Em minha opinião, o resultado acaba por não ser justo porque por aquilo que fizemos o Amora merecia a vitória. Mas, foi um mal menor. Ainda faltam cinco jogos. Nesta altura estamos iguais, sabemos que temos que ganhar os nossos jogos e esperar que o adversário falhe. Se calhar nesta altura há equipas que gostavam de estar nesta situação. O golo marcado aos 90+3 minutos é bem demonstrativo que somos uma equipa que não vira a cara à luta e que vai lutar até ao fim. Podem contar connosco”.    
           

FICHA DO JOGO

Jogo no Campo da Verderena, no Barreiro
ÁRBITRO: Paulo Barradas (Pinhal Novo), auxiliado por André Loução e Jorge Sinquenique

BARREIRENSE: Kevin; Carlos André, Bruno Costa, Fragoso, Bailão; Maside, Crisanto, David Pinto (Danilo, 73’); Fabrício (Capitão-Mor, 65’), Ruben Guerreiro e Amadeu (Pombo, 90+2´). 
TREINADOR: Pedro Duarte

AMORA: Madureira; Balela, Freire, Alex, Jandir; André Dias (Lacão, 45’), Miguel Abreu (Paulo Tavares, 73’), Serginho (Hugo Graça, 45’); Joca, Formiga e Carlitos.
TREINADOR: Pedro Amora

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Amadeu (7’); 1-1, Paulo Tavares (90+3’).
Disciplina: cartão amarelo para Joca (27’), Ruben Guerreira (72’), Amadeu (87’), Jandir (89’), Maside (90+1).





Share on Google Plus