POLÉMICA»» Nomeações na AF Setúbal em causa - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

15 de abril de 2015

POLÉMICA»» Nomeações na AF Setúbal em causa

Comércio Indústria o clube lesado critica também a troca…

Conselho de Arbitragem nomeia árbitro duas vezes seguidas para o mesmo clube

A nomeação do árbitro Diogo Trancadas (Pinhal Novo) para o jogo entre o Alfarim e o Comércio Indústria gerou alguma controvérsia e um certo mau estar entre os sadinos porque este mesmo árbitro havia apitado na jornada anterior o Comércio Indústria – Alcochetense; ou seja, iria apitar dois jogos seguidos da mesma equipa.

A indignação chegou aos ouvidos do Conselho de Arbitragem que procurou resolver o problema trocando Diogo Trancadas [que foi apitar o Barreirense – Palmelense] por Filipe Costa [que mudou do Barreiro para Alfarim], só que foi pior a emenda que o soneto porque se trata de um ex-jogador do Comércio Indústria, facto que terá condicionado o seu trabalho. Pelo menos é esta a opinião de Carlos Ribeiro, treinador da equipa sadina, que lança algumas farpas ao Conselho de Arbitragem da AF Setúbal.

As pessoas fazem as nomeações mas não têm a sensibilidade da importância que tem este campeonato. Não se pode nomear duas vezes seguidas para a mesma equipa um árbitro [Diogo Trancadas] e depois trocá-lo por outro [Filipe Costa] que foi jogador (guarda-redes) do Comércio Indústria e que havia sido dispensado. Não faz qualquer sentido. É provável que tenha alguma mágoa para com o clube mas neste jogo o que demonstrou foi incompetência ou falta de autoridade dentro do campo porque os meus jogadores [alguns até tinham sido colegas dele] não o respeitaram e preocuparam-se mais em falar com ele do que em jogar”, disse ao nosso jornal o treinador da equipa setubalense.

Isto revela uma falta de sensibilidade enorme das pessoas que dirigem a arbitragem. Dá a ideia que fazem as nomeações só para ganharem alguns trocos ou para ocuparem um cargo. Não tenho nada contra o árbitro que apitou o jogo, creio mesmo que em termos técnicos esteve bem. O pior foi o aspecto disciplinar que acabou por influenciar o jogo a favor do Alfarim, com a expulsão do Luís Costa por acumulação de cartões amarelos. Reconheço que o Alfarim foi melhor que nós mas mesmo assim podíamos ter conseguido um resultado diferente se fosse outro árbitro a apitar este jogo. As pessoas têm que ter mais sensibilidade para estes pormenores. Aqui fica o alerta”, realçou Carlos Ribeiro.

Conselho de Arbitragem esclarece:
“O erro foi corrigido assim que foi detectado”

No sentido de apurar as razões porque isto aconteceu, o nosso jornal falou com um elemento do Conselho de Arbitragem que adiantou ter-se tratado de “um erro dos serviços que foi imediatamente corrigido assim que foi detectado”. A fonte por nós contactada esclareceu ainda que “na AF Setúbal está estipulado que um árbitro não possa apitar o mesmo clube num espaço de três semanas”, logo não havia qualquer razão para nomear Diogo Trancadas para o encontro de Alfarim que defrontava o Comércio Indústria, clube que havia dirigido na jornada anterior com o Alcochetense.



Post Bottom Ad

Responsive Ads Here