1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» Monte Cap 0 Grandolense 3 - JORNAL DE DESPORTO

Última hora...

13 de abril de 2015

1.ª DIVISÃO DISTRITAL»» Monte Cap 0 Grandolense 3

Nada saiu bem à equipa de José Meireles…

GRANDOLENSE SURPREENDE NO MONTE DE CAPARICA

O Grandolense obteve um dos resultados mais surpreendentes da 23.ª jornada do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão com a vitória alcançada no Monte de Caparica, onde a equipa da casa apenas havia perdido por uma vez [com o Barreirense].

Com os pontos conquistados a equipa de Grândola subiu mais uns degraus na tabela classificativa encontrando-se agora no 7.º lugar com os mesmos pontos do U. Banheirense que se encontra em 6.º lugar e do Comércio Indústria que baixou do quarto para o oitavo lugar.   

Com a derrota sofrida, o Monte de Caparica desceu para o 9.º lugar mas ficou apenas a dois pontos do trio constituído por Banheirense, Grandolense e Comércio Indústria e a quatro pontos do U. Santiago e Alfarim.

Cajó aos 10 minutos marcou o primeiro golo para a equipa de Grândola praticamente na primeira vez que conseguiu chegar à baliza contrária. O Monte de Caparica, acusou um pouco o golo mas depois recompôs-se e mandou no jogo até ao intervalo só que não conseguiu marcar.

Na segunda parte a situação repetiu-se com o Monte de Caparica à procura do golo e o Grandolense a marcar desta vez com um remate de Calado (59’) que bateu em Albasini e traiu o seu guarda-redes. O Monte de Caparica pressionou e o Grandolense sofreu um bom bocado mas foi-se aguentando e já na compensação deu o golpe fatal com a obtenção do terceiro golo por intermédio de Marco Neves.

No fundo foi um jogo em que tudo correu bem à equipa de Grândola ao contrário do que aconteceu com o Monte de Caparica que este em dia não no que respeita +a finalização.

Na próxima jornada o Monte de Caparica volta a jogar e casa desta vez com o Alfarim e o Grandolense recebe o Almada.



A OPINIÃO DOS TREINADORES:

JOSÉ MEIRELES, treinador do Monte de Caparica:


“À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta"

“Já esperava dificuldades neste jogo porque normalmente quando estas duas equipas se encontram acontece sempre algo que infelizmente nunca é a nosso favor e hoje não foi diferente. Entrámos melhor na partida mas no primeiro remate do adversário (20`) à nossa baliza, a bola desviou no Albasini e fez com que o nosso guarda-redes acabasse por ser batido. O golo perturbou um pouco a equipa mas até ao intervalo fomos sempre nós que tentámos ir atrás do prejuízo só que falhávamos constantemente no último terço do campo. Durante o intervalo tentámos acalmar a equipa que demonstrava muita ansiedade. Reestruturámos as posições em campo, visto termos ficado sem o Bolonha por lesão e segunda metade começou como a primeira, connosco por cima, e o Grandolense a marcar. O que conta são elas lá dentro [e não perto] e na segunda vez que o Grandolenses chegou à nossa baliza voltou a marcar num lance infeliz de Albasini que introduz a bola na sua própria baliza. Foi, sem dúvida, eficácia a 100% do nosso adversário que em dois lances fez outros tantos golos. A partir daqui arriscámos tudo, passámos a jogar com três defesas [Albasini subiu para segundo avançado], mas a ineficácia mantinha-se e durante este período valeu-nos Didó que, com duas boas intervenções, evitou que o resultado se dilatasse ainda mais. E, já em período de compensação surgiu o terceiro golo da Grandolense (90+4’). Foi um resultado muito pesado para a nossa equipa mas de qualquer forma temos que dar os parabéns ao adversário que foi eficaz e leva os três pontos do Rocha Lobo. Normalmente gosto de falar dos árbitros para lhes dar os parabéns pelo seu trabalho sempre difícil e que raramente é do contentamento das duas equipas. Hoje, não quero dizer mal do trabalho do Marcos Duarte mas infelizmente nunca somos felizes quando nos apita. Neste jogo, permitiu que o Grandolense fizesse um antijogo vergonhoso. Nunca interveio, mostrou-se sempre medroso sempre quando tinha que falar com os homens de Grândola. Enfim, um jovem para apitar futebol de sete ou jogos de iniciados e não partidas de homens. Para terminar quero só deixar aqui uma mensagem que será entendível … À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta."


ANTÓNIO GOMES, treinador do Grandolense:

“O Grandolense fez um grande jogo no Monte de Caparica”

“O Grandolense entrou bem no jogo, fez o 1-0. Depois até ao intervalo as coisas estiveram divididas. Nós podíamos ter feito mais um golo mas o Monte de Caparica também podia ter marcado. Na segunda parte voltámos a entrar bem e fizemos o 2-0. A partir daí a equipa uniu-se, trabalhou bastante e conseguiu o que queria. O Monte exerceu alguma pressão com um futebol mais directo e criou algum perigo sobretudo em lances de bola parada e em lançamentos laterais. Sofremos um bocado mas a equipa defendeu bem e conseguiu aguentar o resultado, até que, já na parte final num canto fizemos o 3-0, ficando com o jogo praticamente ganho. O árbitro deu sete minutos de descontos, que me pareceu exagerado, mas fomos valentes e conseguimos os três pontos que nos deixam bastante satisfeitos porque foram conquistados num campo difícil. Deixo uma palavra para o Monte que foi uma equipa que trabalhou bastante para chegar ao golo. Não conseguiu porque nós hoje estivemos muito bem no aspecto defensiva e na finalização. O Grandolense fez um grande jogo no Monte de Caparica”.  

 

FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Rocha Lobo, no Monte de Caparica
ÁRBITRO: Marcos Duarte (Núcleo de Almada / Seixal)

MONTE DE CAPARICA: Didó; Aguilar (Ricardo, 58’), Pedro, Albasini, Heta; Austrelino, Bolonha (Lino, 40’), Miguel; José João, Fábio (Flora, 67’) e Hélder Leal.
TREINADOR: José Meireles

GRANDOLENSE: Heleno; Diogo, Marco Neves, Paulo Santos (Wilson, 75’), Mico; Iddy, Besugo e Borges; Cajó, Fábio (Catota, 65’) e Calado (Gonçalo, 85’).
TREINADOR: António Gomes

Ao intervalo: 0-1
Marcador: 0-1, Cajó (10’); 0-2, Calado (59’); 0-3, Marco Neves (90+4’).

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here